Um caso de duplo homicídio, supostamente praticado por dois homens de origem venezuelana, destruiu a vida e os sonhos do casal Antônia Simião dos Santos, de 60 anos, e o esposo, Francisco das Chagas da Silva, de 50 anos, ambos mortos a facadas dentro do sítio onde moravam, localizado no quilômetro 3 da vicinal União, cerca de 20km da Vila Samaúma, município de Mucajaí.

A Polícia Militar contou que, por volta das 15h da quarta-feira, dia 15, tomou conhecimento do duplo homicídio e que as vítimas seriam idosos e, aproveitando uma patrulha que estava sendo realizada na região por uma equipe da PM, foram até a propriedade indicada na denúncia. Chegando ao endereço, constataram a veracidade dos fatos e isolaram o local do crime.

Um policial militar tem grau de parentesco com as vítimas e informou à guarnição que dois indivíduos venezuelanos, sendo um magro, alto e outro baixo e gordo foram vistos conversando com as vítimas e, possivelmente, estariam pedindo emprego, inclusive usavam bicicletas, uma azul e outra branca, como meio de transporte.

Cerca de uma hora após as vítimas terem atendido os venezuelanos, um morador da região foi ao sítio para devolver um capacete que teria emprestado e se deparou com os dois corpos, ensanguentados e sem qualquer sinal de vida. Como a área não tem cobertura de sinais de internet ou de telefonia, parte da equipe policial precisou ir até a Vila Samaúma para acionar a Perícia Criminalística e o Instituto de Medicina Legal (IML), que chegaram ao sítio às 21h15.

Os peritos constataram que Antônia Simião foi morta com oito perfurações que acertaram mãos, braços e tórax. Já Francisco das Chagas foi morto com 10 golpes de faca que perfuraram o tórax e os braços. Ao fim dos trabalhos periciais, os corpos foram removidos à Capital. Durante levantamento de informações, os policiais descobriram que um dos suspeitos possivelmente tinha prestado um serviço de roçado na propriedade.

A equipe foi ao sítio onde o suspeito poderia ser encontrado, ocasião em que o patrão confirmou que o imigrante trabalhou para as vítimas, mas não poderia ter sido autor do crime porque desde as 7h estava trabalhando em um sítio na vicinal Altamira com um outro senhor com quem os policiais conversaram. A testemunha relatou que um indivíduo conhecido como “Mistura” viu dois elementos em duas bicicletas, pedalando rapidamente, como se estivessem em fuga. “Mistura” trabalha na fazenda de um ex-deputado estadual, na vicinal Santa Rita.

Os policiais relataram que fariam algumas buscas pelo local indicado pela testemunha, mas que naquela noite não seria mais possível, por isso retornaram ao Destacamento para elaborar o Relatório de Ocorrência Policial (ROP).

Na manhã de ontem, dia 16, a família fez a liberação dos corpos para realização de funeral que acontece na Organização Social do Luto (Orsolu), na Rua Professor Agnelo Bitencourt, bairro Centro. O sepultamento foi marcado para as 16h da sexta-feira, dia 17, no Cemitério Campo da Saudade, que fica no bairro Centenário.

Informações – Folha de Boa Vista

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here