MPF quer processar Jeferson Alves por romper barreira na terra indígena Waimiri-Atroari

426

Procuradores da República de Roraima estudam “providências penais cabíveis” contra o deputado estadual Jeferson Alves (PTB), que, na última sexta (28), cortou a corrente que limita o tráfego à noite de um trecho da BR-174 que corta a terra indígena Waimiri Atroari.

“Se depender de mim, essa corrente nunca mais vai deixar o meu estado isolado. Presidente Bolsonaro, é por Roraima, é pelo Brasil e não a favor dessas ONGs, que maltratam meu estado”, disse o parlamentar, após danificar a barreira.

Em nota, o MPF diz que o controle de acesso foi estabelecido pelo Exército durante a construção da rodovia, nos anos 60, porque na época, o povo Kinja quase foi exterminado por conflitos e doenças dos operários.

Atualmente tramita na Justiça Federal um processo que discute o uso da estrada. Para o MPF, o ato do parlamentar, além de depredar o patrimônio público, pode “incitar graves conflitos sociais, práticas racistas e violência contra minorias”.

“É inaceitável que autoridades públicas se arvorem a fazer justiça com as próprias mãos, suplantando as instituições e o foro adequados para tratar controvérsias dessa natureza, desrespeitando as leis e a Constituição da República”, diz a nota do MPF.

Informações: Blog do Peronico