O Estado é o único do país que não está interligado ao Sistema Nacional de Energia, e depende diretamente da energia do Linhão de Guri, na Venezuela

A crise política e humanitária da Venezuela, com o governo Nicolás Maduro pressionado pela comunidade internacional, pode afetar o Estado de Roraima. A região é a única que não é abastecida pelo Sistema Interligado Nacional de energia elétrica. Com isso, a maior parte da população recebe eletricidade do governo venezuelano, por meio da hidrelétrica de Guri.

O Estado teme que o país vizinho desligue o sistema por retaliação ao governo brasileiro. Além da estatal venezuelana, Roraima conta apenas com algumas termelétricas locais. Segundo o vice-presidente, Hamilton Mourão, o plano é abastecer essas usinas.

Outra preocupação dos roraimenses é o aumento da quantidade de imigrantes vindos da Venezuela. O número já alto vem inchando escolas e centros de saúde, além de causar mais insegurança nas ruas e limitar investimentos do governo local. Segundo Mourão, o Governo Federal está preparado para esse movimento.

Desde 2011, está parada uma obra que constrói uma linha de transmissão da hidrelétrica de Tucuruí, no Pará, até Boa Vista, o que incluiria Roraima no Sistema Nacional. O empreendimento não avança por conta de pendências judiciais.

No final do ano passado, a Venezuela já ameaçou cortar o fornecimento de energia afirmando que Roraima tinha uma dívida não-paga com a estatal do país.

Informações: JovemPan News