Pais de adolescente autista denunciam demora para reagendar consulta em clínica do Governo

Jovem precisa realizar atendimento a cada 60 dias, mas já espera há quase dois meses por reagendamento

Os pais do Anderson Leonardo, de 14 anos, entraram em contato com a redação para denunciar a demora para reagendar a consulta do filho. O jovem é diagnosticado com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Conforme Estélio, pai de Anderson, o adolescente precisa retornar a cada 60 dias na Unidade Integrada de Saúde Mental (Uisam), na Clínica Especializada Coronel Mota. No entanto, ele já espera há quase dois meses pelo reagendamento.

A última consulta do jovem foi em fevereiro. Dessa forma, o retorno foi marcado para o dia 04 de abril. Contudo, logo depois ligaram da unidade para desmarcar e afirmaram que entrariam em contato novamente para informar a nova data, o que não aconteceu até hoje.

“A mulher ligou avisando que, no caso, ele [o médico] não ia atender nessa data. Aí eles iam ver uma outra data da semana para reagendar e eles iam entrar em contato com a gente para ver qual seria o próximo atendimento dele. Até então não tivemos resposta”, explicou Estélio.

Na última sexta-feira (13), o pai do adolescente compareceu à Clínica Coronel Mota para verificar a situação. Momento em que descobriu que o nome do filho não estava no sistema da unidade.

“Eu fui na sexta-feira tirar as dúvidas e o rapaz procurou no sistema e disse ‘não, o nome do seu filho não está no sistema aqui não’”, relatou.

Dificuldade para conseguir senha

Ainda de acordo com Estélio, um dos atendentes que fica na recepção do hospital “debochou” da situação, e disse que para conseguir um novo atendimento, ele teria que ir até o local às 05h da manhã.

“Eu percebi que foi um tom de deboche que, no caso, foi eu que presenciei. Ele falou ‘e outra, para conseguir a vaga aqui tem que vir 05h da manhã, atar a rede em baixo de um pé de caju e ficar aguardando’”, disse.

O que diz o governo – Em nota a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) afirmou que direcionou o atendimento do paciente para o Centro de Atenção Psicossocial – CAPS III.

Disse ainda que o Departamento de Políticas de Saúde Mental da Coordenação Geral de Atenção Especializada está acompanhando a definição da data da consulta.

Informações: Roraima em Tempo