Sem salário há quatro meses, servidores da limpeza entram em greve na maternidade de RR

330

Servidores terceirizados que atuam na limpeza da Maternidade Nossa Senhora de Nazaré deflagraram greve por tempo indeterminado. À reportagem, eles alegaram que estão há quatro meses sem salários, sem Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e materiais para realizar as atividades no hospital.

Esta é a segunda manifestação dos servidores em pouco mais de um mês. No fim de maio, eles denunciaram a falta de estrutura para atuar na única maternidade do estado. (Leia a reportagem aqui)

Fotos e vídeos enviados mostram lixo empilhado em diversos setores da unidade. Uma das denunciantes disse que o serviço de limpeza foi suspenso desde o início do ato, no dia 26 de junho. Ela explicou que a greve conta com a participação de 70% dos funcionários.

“Os únicos que estão trabalhando são os servidores das áreas críticas, como centro cirúrgico, Bloco das Orquídeas, Unidade de Terapia Intensiva [UTI], sendo nove funcionários ao todo. Já o setor de isolamento conta com apenas um profissional terceirizado”, detalhou.

A servidora desabafou que a situação de descaso é recorrente e não há sacolas para retirar o lixo acumulado. Relatou ainda que os produtos para higienização do local estão em falta e existe risco de contaminação por Covid-19 dentro da unidade hospitalar.

“Já esperamos mais de quatro meses sem salários e sem ter como pagar nossas contas. Queremos respostas”, concluiu.

CITADOS

A reportagem entrou em contato com a União Comércio e Serviço LTDA, responsável pelos servidores, bem como com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), e aguarda retorno.

Informações: Roraima em Tempo – Foto: Divulgação