Instituto que Denarium quer criar vai custar mais de R$ 4 milhões anuais só com folha de pagamento

Salários do novo órgão chegam a RS 23 mil. Projeto de lei que cria o instituto foi enviado à ALERR para aprovação - Foto: Dida Sampaio

O governador Antonio Denarium pretende criar mais um órgão dentro da estrutura do Governo do Estado. Dessa vez o chefe do executivo quer criar o Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Iater). O Projeto de Lei (PL) foi enviado para a apreciação da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) no dia 26 de novembro.

Conforme o documento, o instituto terá 111 cargos. Já a folha de pagamento mensal é no valor de R$348.243,09. O investimento anual em salários do novo órgão será de R$ 4,1 milhões. De acordo com o PL, o cargo de diretor-presidente será de livre nomeação por parte do governador.

O salário do gestor da Pasta será de R$ 23 mil. Em contrapartida, os três diretores terão a remuneração de R$ 16 mil. Apenas esses quatro cargos somarão quase R$ 72 mil mensais. Com relação aos outros cargos, os salários variam entre R$ 5,3 mil e R$1,3.

Outras mudanças

Apesar da promessa de fazer a reforma administrativa no governo e reduzir o número de secretarias de 37 para nove, Denarium segue criando ou realizando apenas mudanças nas estruturas dos órgãos.

No mesmo PL, por exemplo, o governador vai distribuir os departamentos e os respectivos funcionários da Secretaria de Planejamento (Seplan), entre outras secretarias.

Além disso, o PL também extingue o Instituto de Amparo à Ciência e Tecnologia da Inovação (Iacti). Contudo, as diretorias com os respectivos cargos também serão transferidos para outras secretarias. Entre elas a Fundação de Meio Ambiente (Femarh).

Criação de outras secretarias

Em setembro, Denarium criou outras três secretarias na administração estadual. Em uma delas nomeou a esposa Simone Denarium. Na outra nomeou Valdeilson da Silva, conhecido como Deilson Bolsonaro. Na terceira nomeou como titular Paulo César Martins Torres.

Logo depois disso, o governador também criou a Fundação de Amparo à Pesquisa (Faper). Dessa forma, criou 45 cargos. A estrutura também tem salários de até R$ 23 mil,

Em seguida, o chefe do executivo resolveu mudar a estrutura da Secretaria de Articulação Municipal (Seampu). Com o novo nome, SeCidades, o número de cargos pulou de 35 cargos para 133.

Informações: Roraima em Tempo