Neste sábado (23), três pessoas morreram e ao menos 15 ficaram feridas na cidade venezuelana de Santa Elena, a 15km da fronteira com Roraima e caminhões foram incendiados na Colômbia

Neste domingo (24), o governo brasileiro condenou “os atos de violência perpetrados pelo regime ilegítimo do ditador Nicolás Maduro” ocorridos no sábado, nas fronteiras com o Brasil e com a Colômbia, chamou o governo de Maduro de “criminoso” e apelou à comunidade internacional para “somarem-se ao esforço de libertação da Venezuela”.

“O uso da força contra o povo venezuelano, que anseia por receber a ajuda humanitária internacional, caracteriza, de forma definitiva, o caráter criminoso do regime Maduro”, afirma nota divulgada pelo Itamaraty na madrugada deste domingo.

Neste sábado (23), três pessoas morreram e ao menos 15 ficaram feridas na cidade venezuelana de Santa Elena, a 15km da fronteira com Roraima. Durante discurso em Caracas, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que opositores que tentam entrar com ajuda humanitária são “traidores” e anunciou o rompimento das relações com a Colômbia.

“Minha vida é consagrada totalmente à defesa da pátria, em qualquer circunstância. Nunca me dobrarei, sempre defenderei a minha pátria com a minha vida, se necessário for. É uma ordem que dou ao povo, aos militares patriotas, a todas as forças armadas bolivarianas. Se vocês amanhecerem um dia com a notícia de que fizeram algo com Nicolás Maduro, saiam às ruas”, declarou.

Informações: G1