Passarela foi feita apenas para passagem a pé; veículos estão ilhados – Divulgação

Moradores da vicinal 27, no município de São João da Baliza, improvisaram uma passagem com madeiras para atravessar o rio São Luizinho e chegar até a sede do município, com aproximadamente 9 quilômetros de distância. No início do mês, a ponte que interliga a cidade com a vicinal desabou com a passagem de um caminhão com gados e até o momento o problema não foi resolvido.

A ponte, que era de madeira, já apresentava problemas há tempos e tinha sido ‘remendada’ anteriormente, segundo os moradores. Com o acidente, crianças e adolescentes ficaram sem ter como chegar às escolas, assim como carros e motos ficaram impossibilitados de trafegarem. Diante da falta de solução, o meio encontrado pelos munícipes foi construir uma espécie de passarela para atravessar somente a pé.

“Não teve ninguém para verificar a situação. É perigoso. As crianças não podem perder aulas e precisam ir a pé para chegar até o transporte do outro lado do rio. Tenho três filhos que fazem esse percurso e tenho muito receio porque não é seguro, foi algo que os moradores fizeram para não ficarmos ilhados”, relatou uma moradora que preferiu não ser identificada.

De acordo com ela, as motocicletas são colocadas dentro de uma canoa para chegar até o outro lado. É o único meio de transporte que ainda faz a travessia, pois com o período de chuvas, o rio está cheio e se torna impossível a passagem de carros. “Tiveram que colocar outro transporte escolar [para circular] porque o que tinha ficou do lado da vicinal”, contou.

PEDIDOS

Antes do acidente, a moradora afirmou que havia diversas solicitações para a prefeitura de São João da Baliza para que a ponte fosse revitalizada. Contudo, não tinha respostas.

“Teve um tempo que os motoristas não queriam passar na ponte e tinham medo por causa das crianças. Pedimos da secretária de educação e ela disse que nem sabia da situação. São crianças com menos de 10 anos, o risco de caírem é muito grande”, destacou.

GOVERNO

Em nota, a Secretaria de Infraestrutura (Seinf), por meio do Departamento de Infraestrutura de Transporte (DEIT), informou que foi feito levantamento sobre a situação da referida ponte, e o projeto de reconstrução da estrutura está pronto.

“O valor estimado da obra é de R$ 500 mil. O processo licitatório só poderá ser aberto para contratação de empresa para realização dos serviços, quando houver captação dos recursos necessários para execução”, disse trecho da nota.

A Seinf reiterou que, apesar de uma decisão do Tribunal de Justiça determinar que a responsabilidade pela manutenção e recuperação de vicinais e pontes é dos municípios aos quais elas pertencem; dentro de suas possibilidades financeiras, o Estado é parceiro das prefeituras na busca de soluções para sanar esses problemas

PREFEITURA

O prefeito de São João da Baliza, Marcelo Jorge (Pros), informou que está em parceria com a Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinf) para a construção da ponte e foi informado que já foi autorizado o início das obras. “Acionamos o governo porque no município tivemos problemas com outras pontes, uma delas dentro da cidade que caiu devido ao inverno rigoroso”, relatou.

Marcelo afirmou que a prefeitura está construindo diversas pontes nas localidades do muinicípio, totalizando 50 metros de ponte. “Essas três foram construídas com recurso próprio. Como ocorreu a queda dessa ponte, pedimos ajuda do governo porque o recurso é muito pouco e não temos convênio. Nos deram a garantia [governo] que vão fazer. Estamos cobrando e aguardando”, enfatizou.

Informações: Roraima em Tempo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here