A justiça decidiu libertar um adolescente venezuelano de 17 anos após a Polícia Civil voltar atrás e acusar um brasileiro pela morte do empresário Antônio Coelho de Brito, 69, em Boa Vista.

A decisão foi concedida pelo juiz da 2ª Vara da Infância e Juventude Marcelo Lima de Oliveira no último dia 19, logo depois que a Polícia Civil apresentou o verdadeiro assassino do empresário. O menor estava no Centro Socioeducativo (CSE).

Antônio de Brito foi morto a golpes de pá na cabeça quando chegava para trabalhar na manhã do dia 16, um domingo. O crime aconteceu em um galpão no bairro Pricumã, na zona Oeste da cidade, e dois venezuelanos foram detidos pela Polícia Militar suspeitos da morte.

Yorbin Moises Ponce Diaz, de 31 anos, foi preso junto com o menor, mas continua na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo acusado de roubo. Ele teve a prisão por homicídio convertida em temporária na audiência de custódia que ocorreu no dia seguinte ao assassinato.

A reviravolta no caso só aconteceu três dias depois do crime e da prisão dos imigrantes. Foi quando a Polícia Civil apresentou o pintor Eriton Leitão Brandão, de 26 anos, como autor do assassinato.

Os investigadores chegaram até ele após análise de imagens de segurança no endereço do crime.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here