Prédios públicos abandonados: Para onde foi o dinheiro que seria usado para reformá-los, governador?

A Casa da Cultura foi isolada há cerca de um ano, também não teve obra de reforma iniciada. Até agora só foi feito o escoramento das paredes e mais nada - Foto: Bryan Araújo

A onda de violência voltou a assustar a população roraimense nos últimos dias. Corpos são encontrados quase que diariamente, assaltos ocorrendo com frequência, bandidos trocando tiros com a polícia. Sem falar nos corpos esquartejados encontrados pela capital ultimamente. Além da deficiência na gestão da saúde, o governo agora tem a segurança para resolver urgente.

Falando em ineficiência… as eleições para o governo estão se aproximando e até agora nada da reforma da Casa da Cultura, do Teatro Carlos Gomes, do Museu Integrado de Roraima, do Totozão, Praça Renato Haddad, da Secretaria de Educação, enfim, de todos os prédios que Denarium falou que reformaria para evitar o gasto com aluguel e devolver os espaços culturais à população.

A Segad, por exemplo, paga aluguel de R$ 50 mil em um espaço dentro da Faculdades Cathedral , pertencente ao deputado federal Haroldo Cathedral, forte aliado político de Denarium. Ele, inclusive, tem o filho nomeado como secretário no governo.

O antigo prédio da Secretaria de Educação foi demolido pelo governo com a justificativa da construção de um novo prédio. Um pedaço da memória de Roraima foi abaixo naquela estrutura que poderia ter sido preservada, mas não foi. O fato é que o prédio foi demolido, mas o novo não foi construído. Denarium, inclusive, fez bastante barulho nas redes sociais afirmando ter R$ 10 milhões de emenda de Chico Rodrigues para a obra. Onde será que foi parar esse dinheiro?

Assim é a reforma do prédio da Segad que até já teve a infraestrutura condenada e está lá oferecendo risco, pois não foi isolado. Falando nisso, a Casa da Cultura, que foi isolada há cerca de um ano, também não teve obra de reforma iniciada. Até agora só foi feito o escoramento das paredes e mais nada.

Abandono

Todos esses prédios estão localizados na região central da capital causando verdadeira impressão de abandono. O único quer teve a reforma concluída foi o Estádio Canarinho, que logo em seguida foi transformado em hospital de retaguarda, mas a Sesau retirou os pacientes de lá após denúncias de infiltração que deixavam o ambiente insalubre.

Já o Totozão, que foi palco de grandes eventos esportivos, segue em pleno abandono. É lamentável toda aquela estrutura que poderia ser usada para o incentivo ao esporte, estar se acabando. Fontes informaram à coluna que existe verba para a reforma do local, mas como o governo não investe em infraestrutura, é provável que a obra não seja concretizada.

Informações: Roraima em Tempo